Portaria Virtual: Como funciona, vantagens e desvantagens

O Aumento da violência e a crise financeira que assola o país aguçam a criatividade e a busca por soluções para manter a segurança reduzindo custos. Este é o caso do serviço de portaria remota ou portaria virtual. Um segmento que vem crescendo a cada dia.

As portarias eletrônicas são instaladas por empresas especializadas, que assessoram o Condomínio na implantação de toda parte operacional e tecnológica, na maioria das vezes custeando todo o processo e os equipamentos (regime de comodato).

O controle de acesso de um modo geral e garantido por um funcionário dessa empresa, que atuará a distância com auxílio do sistema de câmeras e demais tecnologias.

Porém, apesar dos atrativos, o serviço de portaria remota não é recomendado a todo tipo de condomínio. Vários são os pontos que devem ser analisados com bastante cautela antes de sua contratação.

O serviço é normalmente indicado para condomínios de médio porte, que tenham até 60 (sessenta) unidades, além disso, o perfil dos moradores também conta no momento da escolha. Devem ser analisados os seguintes pontos:

  • Se os condôminos possuem facilidade para lidar com novas tecnologias;
  • Se todos estão dispostos a colaborar com a nova rotina.

Por se tratar de uma nova tecnologia, certamente não deverá constar em convenção regras ou normas para a sua aprovação, porém como uma mudança desse nível afetará a vida da coletividade, sugere-se que o assunto sela levado a votação em assembleia geral, previamente convocada, cumprindo todas as formalidades legais.

Após aprovação em assembleia, a análise do contrato deve ser feita minuciosamente de preferência com auxílio de um advogado, de forma que sejam estipuladas cláusulas protetivas que garantam a segurança caso haja falhas tecnológicas. Em caso de falta prolongada de energia, por exemplo, deve constar em contrato que a empresa deve deslocar um porteiro para ficar no local.

VANTAGENS E DESVANTAGENS

Muitas são as vantagens do uso da portaria virtual:

  • Redução no custo da mão de obra em ate 50%;
  • Redução de riscos trabalhistas;
  • A ausência de um porteiro físico no local evita as chances do profissional ser rendido por criminosos;
  • Melhoria no sistema de segurança do prédio e novas tecnologias;
  • Portaria funcionando 24 horas sem os tradicionais cochilos noturnos;
  • Evita desvio de função e conflitos de relacionamento.

Mas como nem tudo são flores, existem também os pontos negativos:

  • O sistema pode falhar por falta de energia, para evitar isso à empresa ou o condomínio deverá ter um gerador ou equipamento equivalente que mantenha os equipamentos em funcionamento.
  • Dificuldade de adaptação dos condôminos ao novo sistema de portaria, principalmente os mais velhos;
  • Dificuldades para recepção de encomendas e correspondências.
  • A perda da ajuda humana, por exemplo, com os mais velhos.

Perda daquele velho funcionário que conhece as informações relevantes sobre o prédio